Intensa

Eu gosto da intensidade nas criações, nos pensamentos e nos amores.

Eu vivo da insanidade que minha mente provoca em cada batida mais forte no meu peito.

Algo me prendeu por meses, mas melhor do que ser livre é se libertar.

Acho que algo me completou, tudo errado novamente, num caminho sem trilhas, feito de rachaduras, onde muitos não se atreveriam a entrar, mas é justamente ali, que eu sempre quis estar.

Não me sinto assim talvez há quase um ano, toda essa explosão que eu tenho dentro de mim tentando sair loucamente, com um destino traçado e que porém nunca será encontrado.

Eu amo ser assim, ser desta forma errada, sonhadora, feliz sendo triste.

Esse mundo em que eu vivo, em que eu posso voar, em que as minhas ideias tem como se formar.

Me sinto bem, me sinto fora da realidade novamente, e a irrealidade certamente é o meu lar.

Ouvindo sem poder entender.

Querendo uma vida nova, num mundo velho..

Querendo um amor sincero, em meio ás mentiras…

Amando sem saber por que…

Esperando o que nunca virá. Sem change de chegar. Mil meios de continuar.

Sem pressa porém correndo.

Incertamente correta. Ilusão: viver de sonhos.

Marcha lenta, na subida, marcha sempre sem medida.

Fechar os olhos sem ter que dormir.

Descansar, apagar, recomeçar…

E fracos são aqueles que acreditam em bondade humana.

O Inferno são ás pessoas, o mundo e a vida são a salvação de quem já não aguenta mais queimar.

Nem todos são…

Não me submeto mais.

Me tornei fria? não, me tornei racional. A emoção está extinta, a maioria dos seres humanos não sabem mais o que é isso.

Me emociono sim, comigo mesma, com a minha mãe, com uma melodia, com a natureza, com o mundo, os animais, nada mais. O mundo me merece, as pessoas não.

Cansei de chorar porque me fizeram mal, porque foram insensíveis, vai ser sempre assim, cabe a mim realmente não ligar mais.

Não acredito mais em nenhuma bondade humana a não ser a da minha mãe. Eu conheço o ser humano. Passei anos analisando, não gostei do que vi.

Band

“Saber não ter ilusões é absolutamente necessário para se poder ter sonhos.” Fernando Pessoa. Acho que tudo o que eu fiz… todas as fotos… todas as ideias… as horas em claro pensando em um gif… passei anos com uma banda na cabeça, tentando fazer de tudo um pouco para ajudar, e eu nem sequer conheço essa banda, nunca tive o privilegio de ver todos juntos de perto, ninguém acredita nisso, mas é a realidade, eu nunca sequer consegui conversar 10 minutos com qualquer um que seja, e levei isso por anos. Sonhar é bom mas se iludir não. … realmente eu não acho nada, não espero mais nada, o nada já é uma resposta clara.

My Dreams

Meus sonhos jamais mudaram… só sofreram um forte abalo, mas se recuperaram e cresceram… e continuarão aqui, e daqui jamais saíram.

Modificaram-se, Cresceram, Multiplicaram-se, mas nunca se esqueceram de todos os outros…

Change, grow and multiply, but never forget all the other dreams …

Ainda não se recuperaram totalmente do abalo, foi intenso demais, frio e de certa forma uma incógnita. Mas a esperança move tudo, até o que se achava imóvel… se revive e até mesmo não se deixa morrer.

Amar doí, doí muito, certas vezes sufoca, te corta pelas entranhas, mas até mesmo a dor do amor é muito boa de se sentir.

Love, Suffering, Hate, and Love again.

Postado em

Encantada Montanha dos Selvagens Gansos.

A montanha encantada dos gansos selvagens, foi o livro que me salvou quando eu tinha apenas 7 anos de idade (junto ao apoio fundamental da minha mãe), me salvou de uma dor que eu sinto até hoje e não compreendo, a perda do meu pai me causou certa depressão que eu levo por anos, e essa sim nunca terá cura, eu vejo nele certa paz que não encontro em nenhum lugar. É meio que um refugio, um paraíso só meu. Sempre fui muito sonhadora, sempre sofri muito com isso, as pessoas sempre me acharam um tanto besta, mas eu ainda acho que estou certa, ou pelo menos levo comigo uma paz interior, que me livra de todo mal que um dia irei passar, eu vivo flutuando junto aos gansos, talvez eu esteja perdida entre eles, mas estou bem assim, sendo quem eu sou, independente do que todos acham, vivo muito mais dentro de um sonho do que minha própria vida, mesmo nos momentos de dores maiores eu procuro enxergar o lado bom, procuro sorrir e jamais desistir, os Pingos De Luz, me fizeram ver a vida de uma outra forma, talvez eu escreva tanto, sonhe tanto, porque esses livros me fizeram REVIVER algo que sempre esteve dentro de mim, ou de certa forma amenizar parte de uma perda que ninguém nem eu nunca entenderá o quanto foi monstruosa ao meu coração.

Queria por uma última vez te dizer adeus…

Ás vezes eu queria retirar tudo isso que eu sinto, e toda essa vontade que eu tenho de sonhar e escrever. Eu queria por um só segundo ver o mundo como todos vêem e ser tratada como todos são.

Há algo em mim que me mata ao mesmo tempo que faz crescer, eu não gosto mas também não vivo sem, eu não quero porém quem sou eu para impedir a mim mesma?

Quem sou eu? E aonde esta você? E porque esta tudo errado nesta realidade certa? Me explica a aceleração do meu corpo reagindo a qualquer indicio seu (sem poder agir, se desgastando, se mantendo fora do seu alcance por não poder mais suportar, tudo aquilo que sente) no qual eu possa pelo menos cultivar o que há dentro de mim e que não deveria estar…

E que porra de amor é esse que eu sinto? Esse amor não devia estar aqui… eu não quero mais que esteja…
Eu queria fechar os olhos sem ter que sonhar, por que esse amor não se vai com as lagrimas e ilusões com os sonhos que ninguém entende?
Por que esse amor me deixa doente? Me mata sem ter visto que eu nem ao menos estive vivendo?
Por que nesse escuro interminável este pequeno flash de luz não se apaga? Ou se acende de uma vez?

Por que eu nunca paro de procurar respostas, aonde nem se quer quis ouvir a minha pergunta?

Na real eu acho que nunca amei e por isso não posso parar o que sinto… Quem amou foi o meu coração, todos esses anos, eu apenas sentei e assisti todas as suas emoções, e acabei me apaixonando por cada uma delas, milhares, centenas de vezes… e hoje não sei como parar, não sei como deixar de amar ou até mesmo não posso, não consigo apagar cada emoção que meu coração ainda sente.

Talvez eu vá viver eternamente nesse meu universo com você, mas sem você…

Talvez eu não me encontre mais em você, mas continue te vendo em mim.

Agora sem mais infantilidades ou surrealidades…

Eu parei de sonhar, para despertar para vida, mas esqueci de abrir a janela onde talvez eu encontrasse o meu lugar, sem nem ao menos saber onde estou, apenas querendo ser quem eu sou, e tendo você onde sempre esteve….. dentro de mim, dentro do meu coração, vagando lentamente pela minha mente onde quer que esteja, com quem quer que esteja, desde sempre e para sempre =~~~

TITANIC, o último relato.

Sempre fui vidrada em computadores, desde que consigo andar e ter a visão das palavras, em dezembro de 2003, no auge dos meus poucos anos, ao certo 10, descobri um site chamado: Fotolog, não sabia, mas ele iria mudar totalmente a minha vida…

Amava observar ás fotos, sonhar com os lugares e o modo com que ás pessoas fotografavam, foi o primeiro site no qual desembarquei nessa minha fascina pelo mundo fotográfico (numa época em que a internet era sinônimo de riqueza e ás pessoas usavam fielmente ás LAN HOUSES)…

… mas eu não estava esperando encontrar nele tantos sonhos e tantas mudanças na minha própria vida.

Era uma época complicadíssima, havia perdido meu verdadeiro amor há 3 anos, sim, meu PAI, não superei isso até hoje, ainda acho que vou encontra-lo, e que ele vai sorrir para mim, o sorriso mais lindo que eu já vi em toda a minha existência…

…eu não me lembro de praticamente nada entre os anos (2000-2003) como se a minha vida não tivesse fazendo algum sentido real, mas o fotolog me fez despertar ainda mais a vontade de viver e sonhar (sempre fui movida a sonhos), quando descobri nele, a pessoa que mudaria por completo o meu coração, e me ajudaria por anos, Paraíba Fresno, o encontrei em uma das pessoas que seguia na época, e o que me levou até ele de fato, foi a foto de um cachorro, o Smígolas (na época até quis por o nome do meu atual cachorro “Toby” do mesmo, ou até de Paraíba)… mas ali havia mais que uma foto, havia um texto, e eu era literalmente apaixonada pela leitura, e me apaixonei instantaneamente pelo modo que o dono do fotolog tinha ao escrever… desde esse dia: 19/12/2003 eu passei a ler sempre o que ele escrevia ali, nunca imaginando que ele se tornaria algo tão grande na minha vida, e nas de tantas pessoas…

… não sei em que meio tempo eu me apaixonei literalmente pelo rapaz em si, na idade em que eu tinha não sabia nem ao certo o que sentia realmente…

… mas sabia que ali existia muita admiração, principalmente, após descobrir sua banda em 2004, Fresno, vendo um clipe em um site que terminava em .tk

.. bem, ele com certeza foi uma das pessoas que mais me reviveu naquela época tão difícil, talvez a mais difícil da minha vida… onde eu estava buscando de alguma forma, novas razões para continuar neste mundo, com a ajuda inigualável da minha mãe.

Ele nem sabia da minha existência, e realmente não sei quando ele veio a saber, e nem se realmente sabe… mas eu via nele algo que eu não media mas sentia, isso girando em torno de tudo, e não só dos textos, das músicas, ou de um guri ‘bonitinho’… de algo que eu não consigo medir nem agora, uma emoção realmente sem razão, acho que a parte mais linda do meu coração.

Anos se passaram e eu vi tudo aquilo se transformando na minha frente, e como ele crescia, e quantas mudanças eu acabei sofrendo, em mente, em vida, em expectativas, em sonhos…

É meio complicado relatar tantos anos, tantos sentimentos, principalmente, numa época em que eu era literalmente uma criança, fui criança até meus 16 anos, totalmente imatura, daquelas que jogava de RPG de Pokémon até GTA, e sonhava que os Digimons existiam…

.. sempre tive uma vida de sonhos.

Mas eu sempre quis de alguma forma aumentar meus sonhos, traze-los para a realidade, e num ciclo sabiamente crescente (muitas vezes incoerente, sem razão, e por anos escondido), fui tentando de várias formas chegar até o tão admirado por mim, o Beeshop.

E desde o principio eu sabia que aquilo tudo era na real uma ilusão, até mesmo um canibalismo carente, algo totalmente incoerente, mas era gostoso de se sonhar, era como se eu tivesse entrando num TITANIC… eu sabia que ele iria afundar, mas a história era tão linda, e mesmo que eu sofre-se ou me engana-se eu queria vivê-la.

Se passaram 8 anos, na real 7, mas eu não gosto do número 7, mas talvez tenham sido 8 mesmo, não sou muito boa em contas fáceis, me dá uma pane que nem a calculadora resolve… (sou realmente uma nerd complexa) …e eu consegui encontra-ló e abraça-ló, depois de vê-ló tantas vezes por uma TV, pela tela de um computador ou por um palco distante do meu alcance, sabem o que é olhar para uma pessoa dizer: “-MEU DEUS, ELE ESTÁ NO MESMO PLANO QUE EU” (nem sei e nem quero ver qual foi a minha cara na hora), nem vou dizer que o meu coração parou e eu senti borboletas no estômago, não, ali eu estava vivendo um sonho que nem mesmo eu sabia a dimensão… (num momento se passaram tantas coisas pela minha mente ‘não sei como não desmaiei ali mesmo’ todos os sonhos, erros, enganos, momentos, esperas, conquistas… de alguma forma eu sabia, que eu iria ter que acordar).

Eu realmente sabia que eu iria ter que acordar, nos meus 18 anos, a garota sonhadora, deveria parar de sonhar para viver, construir em vida não só sonhos mas realidades, eu sabia que não poderia mais sustentar tudo aquilo, por isso esperava e tentei tanto por aquele momento, para entregar o presente mais bobo a pessoa que mais significou algo em minha vida…

… não sei se fiz certo, não sei se ele gostou, e não sei se um dia vou saber… mas ali naquele abraço e naquele beijo em seu rosto, eu deixava o adeus de um sonho real, e todas ás coisas boas que ele me fez sentir, e a dimensão do tamanho que ele conseguiu me ajudar, o carinho e talvez o amor que eu sentia.

Ao certo eu não sei o que é o amor, mas deve ser isso que eu acabei de relatar e tudo aquilo que eu senti e não pode ser relatado… (nem que eu queira)

… faço deste o meu último texto, perante tantos outros que eu disse que seriam os últimos… faço deste um relato de todos os outros, o porque de tanta incoerência…

…não sei como termina-lo assim como não sabia como começa-lo, também não sei se esqueci de algo, só sei que foi a melhor vida de um sonho que eu tive e terei, se terminou eu também não sei, mas eu tive que parar de sonhar e acordar para aquilo que para mim ainda parece um sonho.

Carinho

Eu poderia sei lá, fazer um Zilhão de textos (como eu SEMPRE tenho vontade)… sonhar mais um milhão de vezes, ou até mesmo parar o tempo num mero segundo que fosse, mas não..

Após 8 anos, lendo textos, vendo fotos, vídeos, sonhando, desejando um abraço que fosse, sabe, poder vê-lo ali, fora de tudo isso, sem grades, e dizer: É HOJE! ou será que vou ter que esperar mais alguns anos.

Crescer, viver, sonhar (e eu não digo isso como uma pessoa normal ‘quem me conhece sabe disso’), eu não digo isso como fã, ou como um amor… eu digo isso pelo sentimento sem medo que navegava dentro de mim, algo como: CARINHO misturado com SINCERIDADE, felicidade e muita muita mesmo, admiração!

Um suplico de OBRIGADA lançado ao vento, e que neles viviam anos de lembranças, feitos, CARINHO.

Eu prometo derramar nem que seja uma lágrima (e será inevitável).

Eu não sabia como começar esse pequeno trecho que estou fazendo, e nem mesmo sei como acabar… mas talvez essa parte da minha vida, seja a parte chave, de desde o dia que eu comecei a enxergar o mundo, um roteiro vago, que somente a minha mente conseguia escrever… o momento mais sincero que eu transpassei com os olhos, com o meu sorriso (que eu NUNCA mostro), e com o abraço mais CARINHOSO e feliz que eu já daria em vida.

Belo jogo da vida, nem GAME OVER nem CONGRATS!… mas uma coisa eu digo, lutem, se quebrem, se reconsertem, e vão em frente, por tudo que vocês queiram sonham, esperam!, façam disso algo único e eterno, mesmo que a sua vida não possa girar em torno disto para sempre, mesmo que tudo seja incoerente, vivam para vocês, algo que NINGUÉM poderá entender. NINGUÉM.

… eu poderia, mas o sonho só se concretiza quando a gente acorda, e não têm medo de sonhar outra vez.

Para MIM, um eterno CARINHO, naquela puxada de ADEUS! (não se vá) (cadê a porra dos contos de fada, sei lá?)!

Esse CARINHO que eu sempre senti, eu jamais sentirei novamente e nem por ninguém de um jeito tão totalizante e sincero. Leve-o com você, pra onde quer que você vá.

Ilusão Tentadora

Ás vezes me pergunto como eu consigo mergulhar em tanta ilusão.

Olho pôster a minha frente, um vídeo que me deixa contente, algumas fotos que me fazem sonhar…

Paro e me pergunto novamente: – Você está louca Kássia?  E eu mesma respondo: – Estou há muito tempo.

Seria a ilusão algo que não se apaga da memória, e não diz adeus a quem chora?

Esperança que de tão boba virou Ilusão.

Como posso querer me desfazer de tal ilusão tão tentadora?

Quem sou eu para dizer que é tudo em vão?

Quem sou eu para desvendar o futuro?

Quem sou eu para desafiar o impossível?

Quem sou eu para acreditar em um sonho?

E o que fazer quando não se pode desistir, por mais dolorosa que seja a espera?

…Por saber que logo mais, seu sonho te fará acordar…

Como conseguir esquecer o que nunca aconteceu?

Como conseguir escrever aquilo que não faz sentido?

Como, como, COMO? Eu não sei. Só sei que tudo isso é maior que simples palavras num mundo sem amor.

É como se uma parte de mim estivesse longe, e com outra pessoa (como se ela fosse outra pessoa), a ilusão mais saudável do mundo. A tristeza que não dura um segundo.

A vontade de realizar um SONHO junto do desespero de perder um AMOR.

É demais pra mim, ta demais para o meu coração. Ta na hora de agir. Agir no que… eu ainda não sei. E é quando não sabemos, que as coisas mais importantes e únicas acontecem.